5 Coisas que você precisa saber sobre crianças que gritam.

164353372.jpg

O desenvolvimento infantil é sem dúvidas algo fascinante (pra não dizer enlouquecedor em alguns momentos rsrs)!

Existem inúmeros comportamentos surpreendentes que são resultado do bebê ou da criança iniciar o processo de autoconhecimento. 

Eles iniciam de forma inesperada e muitas vezes nos pegam de surpresa. 

Por exemplo, quando os bebês descobrem que, ao se comunicar com um tom de voz mais agudo e alto, eles são capazes de conseguir a nossa atenção prontamente. (Aff!)

Quando isso ocorre, é natural que eles se encantem com a descoberta e acabem repetindo o comportamento inúmeras vezes por dia. Afinal, se está surtindo o efeito desejado, por que parar, não é mesmo?


Além de descobrir o poder da voz durante esta exploração, Bebês se deparam com o impacto que seus comportamentos geram na postura (ou até mesmo nas emoções) das pessoas ao seu redor!


"Hum, interessante! Quando eu grito a minha mãe me oferece todos os brinquedos da prateleira. Acho que essa é uma forma de comunicação a ser explorada!"

Agora não me interprete mal! De forma nenhuma isso significa que os gritos são uma forma de manipulação e sim de aprendizagem.

Eles podem se tornar algo negativo quando a criança confunde ATENÇÃO NEGATIVA com ATENÇÃO POSITIVA.

Pois afinal, para eles tudo é uma forma de atenção!

E se eu estou recebendo qualquer uma delas como resultado de um comportamento novo, eu irei continuar reproduzindo este comportamento até alguém me mostrar que ele não é adequado.


Ou seja, as crianças veem os gritos como algo positivo!

(mesmo quando sua reação a eles é negativa)


Mas o que você precisa saber sobre os GRITOS?

1) O auge deste comportamento inicia entre o 18° e 24° mês de vida.

2) Eles ocorrem pois, nesta idade, existe um período onde os pequenos fazem uma experimentação com os sons e testam suas habilidades vocais;

3) Este tipo de comportamento também pode ser um sinal de que a criança está buscando limites e está testando o que é aceitável para se relacionar com os outros, ("Posso gritar assim sempre?");

4) Os gritos também podem ser causados por não conseguir comunicar suas vontades, frustrações e até mesmo por não saberem se estão sendo compreendidos;

5)  E finalmente, eles podem ser causados por uma mistura dos quatro itens acima! Como esta fase no desenvolvimento é marcada por uma alteração hormonal gigantesca é normal que o toddler vivencie mudanças drásticas de humor que podem resultar em uma combinação de dificuldades em lidar com sentimentos e desafio para verbalizar suas necessidades. 

O ponto mais importante sobre este post é que precisamos entender que nosso comportamento reflete diretamente neste marco.


Quando temos reações desproporcionais aos gritos, tais como: gritar de volta, xingar, colocar de castigo, oferecer todos os itens da casa, se irritar, ou se retirar do ambiente, deixando o toddler sozinho, acabamos contribuindo para que este tipo de comportamento continue.


É importantíssimo se manter presente nestes momentos, evitando reações como as citadas acima.

Converse com a criança usando frases que descrevem seus sentimentos e a situação que ela está enfrentando.

Sirva de apoio e não dê a solução que ela deseja para o comportamento.

Alguns exemplos de frases devem ser usadas são:

  • "Eu entendo que é difícil esperar quando se está com fome."
  • "Você está irritado porque ____________________."
  • "Percebi que está difícil controlar seus sentimentos."
  • "Você queria colocar a blusa sozinho e eu coloquei por ti."
  • "Eu vou ficar aqui do teu lado, quando você terminar de se expressar estarei aqui."
  • "Você está falando muito alto, vamos usar sua voz baixinha?" (Usar tom de voz baixo para criança mimicar seu comportamento.)

Evite frases que julgam os sentimentos, comportamentos ou que sejam uma solução para os gritos.

Alguns exemplos do que evitar são:

  • "O que foi agora?"
  • "Ai que feio isso que você está fazendo! Olha no espelho que menino feio."
  • "Pedrinho, olha o amiguinho da outra mesa como ele é comportado! Pare com isso agora!"
  • "É isso que você quer? Não? É isso? Não? É isso? É aquele ali?"
  • "Pega esse aqui e fique quieto! Já deu!"

As vezes será difícil manter a calma! O que é completamente normal, só esteja ciente de que você é o adulto e deve transparecer segurança e ter comportamentos adequados para que os pequenos consigam identificar o que é saudável e normal dentre as relações com as pessoas.


LEMBRE-SE: gritar é uma forma saudável que a criança encontra para liberar frustrações, tensões e aprender a se comunicar. O fato do seu filho se comportar desta maneira não significa que ele é mal educado, e sim que ele está se desenvolvendo de forma saudável! Nosso trabalho não é pacificar ou eliminar comportamento, mas sim instruir a criança para que gradualmente ela encontre novas formas de se comunicar, o que leva tempo e persistência. (:


Curtiu este post e conhece uma família passando pela mesma situação? Compartilhe! ;)