6 Motivos para não sentar seu bebê antes do tempo.

6 Motivos para não Sentar seu Bebê

Muito se escreve sobre como os bebês devem ser estimulados. Com tudo, hoje eu gostaria de apresentar para vocês um ponto de vista diferenciado em relação ao desenvolvimento motor da criança e convidar vocês a questionarem práticas que dizem auxiliar na aprendizagem de movimentos e posturas.  

Ao contrário do que muitos acreditam, para estimular o bebê a se sentar a última coisa que deve ser feita é posicionar ele desta forma!

Isso porque, outras etapas, como o desenvolvimento da consciência corporal e o fortalecimento dos músculos, por exemplo, são puladas uma vez que tomamos a iniciativa pelo bebê.


Irene Lyon, cientista corporal, especialista em trauma do sistema nervoso e praticante de Feldenkrais é uma de muitas profissionais que defendem o desenvolvimento natural do corpo, sem que haja direcionamento externo.

Pode não parecer, mas a verdade é que, quando forçamos movimentos estamos causando pequenos traumas ao corpo do bebê. A longo prazo, essas pequenas "lesões" podem acabar se tornando responsáveis pelo desenvolvimento de doenças físicas e emocionais!


Abaixo, listei 6 motivos defendidos por estudos científicos, pelos quais não devemos sentar bebês antes do tempo. Confira:

  • Consciência corporal - Quando o movimento não é iniciado pelo bebê ele não está consciente do ato. Ou seja, ele não faz a menor ideia quais músculos precisam ser contraídos, como o peso deve ser transferido de um lado do corpo para o outro ou até mesmo como seus ossos devem ser alinhados. Existem posições de transição que ocorrem entre cada movimento que, infelizmente, são ignoradas quando iniciamos o movimento pela criança. Quando fazemos isso, eliminamos todo o processo de percepção do bebê sobre seu próprio corpo. 
  • Autoconfiança - Quando a criança não se sente segura em executar um movimento sozinha ela passa a depender mais do adulto para a retirar e colocar de posições "impostas". Isso acaba dificultando o desenvolvimento de autoestima e diminuindo a habilidade do bebê de confiar em si próprio para realizar outros movimentos. 
  • Sentimento - Quão importante pra ti é se sentir seguro? Para que a criança possa aprender sobre o sentimento de segurança, um de seus primeiros desafios será descobrir e confiar em seu corpo. Quando ignoramos este detalhe e não levamos em conta se o bebê consegue ou não executar uma postura sozinho, anulamos seus sentimentos positivos e cultivamos a ansiedade e frustração. Você já percebeu como os pequenos se tornam irritáveis quando querem aprender a caminhar? Você já percebeu também que o que pode estar contribuindo para esta irritabilidade é o fato de você ter sugerido uma postura que ele não é capaz de executar sozinha?
  • Continuidade - Quando o bebê é sentado antes do tempo, ele não tem a oportunidade de dar continuidade ao movimento. Isso porque, para que ele consiga sair desta posição, ele vai cair. Se ele quiser voltar a se sentar novamente, ele precisa chorar e exigir a presença de um adulto, o que acaba tornando seu movimento dependente de outra pessoa, e não dele mesmo. Isso resulta em uma quebra da continuidade e fluidez dos movimentos do bebê, o que pode acabar tornando a criança dependente de entretenimento, e não de aprendizagem.
  • 'Busca pela perfeição' - A correção dos movimentos do bebê é completamente desnecessária. Somente ele sabe a melhor forma de executar movimentos para que seu corpo se movimente de forma confortável e natural. Cuidadores que passam grande parte do tempo posicionando o bebê da forma "certa" estão impedindo o desenvolvimento espontâneo do ser! 
  • Saúde - O peso da cabeça do bebê sobre o pescoço e a coluna vertebral pode cria uma pressão desnecessária e comprometer o desenvolvimento saudável da criança. A longo prazo, isso pode comprometer a postura, coordenação motora, flexibilidade e formação do corpo. Infelizmente os reflexos desta atitude são sentidos somente na adolescência e vida adulta e por isso descartamos esta atitude como não importante. 

Existem muitas metodologias e filosofias de ensino que apoiam este tipo de abordagem do desenvolvimento físico infantil.

Quer saber mais? Assita o vídeo que aborda este assunto no Canal do Youtube!