Distúrbios de Humor Pós-Parto: como identificar se eu ou uma pessoa que eu amo está sofrendo?

Humor Pós-Parto

Em comemoração ao lançamento do Curso Gratuito: Lidando com Distúrbios de Humor Pós-Parto, começaremos uma série de posts sobre o tema. Se você deseja receber o curso em primeira mão, cadastre seu e-mail clicando aqui!

Como identificar se eu ou uma pessoa que eu amo está sofrendo de algum Distúrbio de Humor Pós-Parto (DHPP)?

 O diagnóstico de distúrbios de humor pós-parto é muito amplo, podendo incluir diversas condições diferentes ? algumas mais simples e outras mais graves e complexas. Contudo, é possível observar os fatores de risco mesmo antes do diagnóstico, ou seja, condições que, se presentes, podem acabar aumentando a propensão de uma pessoa a desenvolver algum destes distúrbios. Você conhece esses fatores de risco?


Alguns deles consistem em ter, no histórico pessoal ou familiar, alguma das seguintes condições: 

  1. Bipolaridade; 
  2. Depressão; 
  3. Depressão pós-parto; 
  4. Distúrbio de ansiedade;
  5. Distúrbios alimentares;
  6. Alguma doença na tireoide;

Além dos distúrbios citados acima, também estão propensas à sofrer de algum Distúrbio de Humor Pós-parto pessoas que possuem:

  1. Histórico de TPM;
  2. Insônia ou incapacidade de prolongar o sono por mais de 2 ciclos de REM ou 2 blocos de 3 horas de sono durante o período pós-parto; 
  3. Gestação múltipla;
  4. Experiência de parto ou nascimento traumático ou desapontador;
  5. Perdas mal resolvidas (ex: problemas com reprodução, infertilidade, aborto espontâneo ou aborto);
  6. Histórico de abuso sexual, físico ou negligência;
  7. Stress recentes (ex: doença na família, divórcio, mudança, mudança de emprego, morte e problemas financeiros);
  8. Personalidade perfeccionista orientada por tarefas e inflexível;
  9. Uma pessoa isolada (mora longe da família, tem poucos amigos ou conhecidos com filhos);
  10. Problemas no relacionamento do casal ou com a própria mãe;
  11. Problemas no relacionamento com o bebê (ex: bebês com cólica, que tem alta demanda de atenção, temperamento difícil, doença ou machucado, desenvolvimento atrasado);

Se você possui alguns dos fatores acima citados, ou conhece alguém que possui, não precisa entrar em desespero e nem achar que as coisas vão dar errado. Existem muitas coisas que podem ser feitas para minimizar as chances de se desenvolver um distúrbio de humor pós-parto ou mesmo de tratar a condição, depois de diagnosticada.


Quer saber mais?  Aprofundaremos mais o assunto no curso completo de Distúrbios de Humor Pós-Parto. É gratuito! :)