Exaustão: O desafio da família moderna.

Saúde dono sono

Em meio a todos os desafios da vida com crianças sem dúvidas o mais comum entre pais e cuidadores é a exaustão.

Mais do que nunca se tornou um símbolo de status ficar sem dormir. 

Quem nunca ouviu as frases:

"Só é bem sucedido quem trabalha longas horas"

"Só são bons pais aqueles que dedicam suas noites a seus filhos"

"Criança só é criança se não dormir"


Considerando que é possível sobreviver 30 dias sem comida, 21 dias sem água e 11 sem sono me parece que não estamos dando a devida importância a esta necessidade.


O sono é tão importante quanto qualquer uma das outras necessidades básicas para o funcionamento do nosso corpo.

Coincidência ou não, 40% da geração Y tem sofrido de níveis altíssimos de estresse. 19% dos millennials foram diagnosticados com depressão. O índice de mulheres sendo diagnosticadas com distúrbios de humor pós-parto só sobe e o indice de crianças diagnosticadas com déficit de atenção aumentou cerca de 41% na última década.

De acordo com Dr. Stuart Quan e Russell Sanna da Divisão da Medicina do Sono da Faculdade de Harvard: "A privação de sono impacta de forma negativa nosso temperamento, habilidade de focar e nossa habilidade de acessar níveis elevados de funções cognitivas. A combinação desses fatores é a que nós referimos de desempenho cognitivo."


No Brasil, a média de horas de sono por noite é de 4 à 6 horas. Para adultos, isso é cerca de 4 hora à 4 horas a menos do que o recomendado.

(Já para as crianças brasileiras são entre 6 horas à 8 horas  a menos por noite considerando que elas precisam de 10 à 12 horas de sono por noite)


Agora porque você deveria se preocupar com estes dados?

Em uma pesquisa da Grã Bretanha foi constatado que pessoas que dormem mal são 7 vezes mais prováveis de se sentirem desamparadas e 5 vezes mais inclinadas a se sentirem sozinhas. 

Esses resultados sinalizam o grande impacto que a falta de sono apresenta para nossos relacionamentos. Cuidadores exaustos têm mais dificuldades de se relacionar com seus filhos, a probabilidade de desenvolver vínculo entre cuidadores e bebê diminui e os desafios no casamento podem se tornar ainda mais evidentes.

Além dos relacionamentos o desenvolvimento infantil e do adolescente sofrem. Alguns problemas associados a falta de sono são:

  • Aumento em comportamentos agressivos;
  • Aumento de sintomas associados com Depressão e Ansiedade;
  • Aumento em acidentes como quedas (pois a falta de sono pode afetar o equilibro);
  • Diminuição da autoestima;
  • Hiperatividade e falta de concentração;
  • Impaciência e irritabilidade;
  • Obesidade;
  • Entre outros problemas que ainda estão sendo estudados.

*Lembrando que os adultos são afetados com os mesmos sintomas! Tudo o que você sente quando está cansado a criança sente também.

Agora muitos podem argumentar que isso faz parte de ser um bom cuidador.

Que não dormir é normal em uma casa com bebês, crianças e adolescentes.


Agora a pergunta que fica é: Se mesmo sabendo que talvez a fonte de tantos males para a saúde física e emocional da família seja a falta sono, será que não estaria na hora de rever esta crença?


Participem respondendo a pergunta aqui nos comentários e compartilhe!