Por que a pele do meu bebê está ressecada?

Pele do bebê Ressecada

Mantendo o tema que abordei no IGTV hoje, decidi escrever sobre as 4 razões que podem tornar a pele do bebê e da criança ressecada!

A pele é o maior órgão do corpo e muitas vezes deixamos de dar a devida atenção para os cuidados com ela.


Nos primeiros meses de vida é importante lembrar que o excesso destes quatro hábitos abaixo podem prejudicar a hidratação do corpo do bebê:

  1. Banhos frequentes - a pele produz óleos que a mantém hidratada. O recém-nascido não necessita ser banhado com a mesma frequência que crianças ou adultos, por isso, esteja atento ao ressecamento da pele. Se você perceber que a pele do bebê se encontra seca ofereça um banho em dias alternados pois isso pode ajudar a evitar que a pele resseque a ponto de rachar ou abrir pequenas fissuras;
  2. Temperatura da água - quanto mais quente a água maior a probabilidade da pele do bebê desidratar. A água deve ser morna entre 36 e 37 graus. Não se deve banhar um bebê ou crianças em temperaturas mais elevadas pois isso pode apresentar um risco até mesmo para a saúde do pequeno;
  3. Produtos de higiene infantil e hidratantes - quanto maior o número de ingredientes irreconhecíveis dentro de um produto infantil maior a necessidade de estarmos atento a reações como o ressecamento da pele. Sabão, álcool e óleos minerais são ingredientes comuns dentro destes produtos e podem causar danos na pele do bebê e criança devido ao uso é prolongado. É importante buscar ingredientes de composição natural como alternativa. Alguns exemplos são os óleos naturais prensados a frio como o óleo de amêndoas, abacate ou jojoba. Para testar reações alérgicas aplique uma pequena quantidade no pulso ou pé da criança e observe por até 24 horas. Se qualquer alteração na pele for observada evite o uso do óleo;
  4. Fragrâncias sintéticas - nada mais gostoso do que um bebê super cheiroso, não é verdade? Se você também gosta é importante estar ciente de que a exposição a fragrâncias sintéticas pode estar prejudicando muito mais do que você imagina. O sono e a alimentação normalmente são os mais afetados pelo uso destes ingredientes. Quando usando "cheirinhos" na pele ou no ambiente onde a criança brinca ou se alimenta tenha em mente que inalar estes produtos químicos nunca é uma boa ideia. Busque alternativas como os óleos essenciais tais como o de lavanda, alecrim, laranja, rosa, entre outros. Lembre-se que ervas e flores têm efeito sobre o corpo por isso tome muito cuidado com a quantidade aplicada. Alguns destes óleos podem ter efeitos colaterais quando usados na dosagem errada por isso use somente após o terceiro mês acompanhado de um óleo carreador (como os citados acima) ou 1 gotinha na água do banho.

Nutrimos nosso corpo com alimentos saudáveis mas pouco é falado sobre como alimentar nossa pele.

Todo e qualquer produto que entra em contato com a pele é absorvido em nossa corrente sanguínea ou ingerido por bebês e crianças, (pois advinha? Eles colocam tudo na boca!)

A desidratação da pele pode ser apenas um exemplo de problemas que podem vir do uso prolongado destes ingredientes. Em casos extremos algumas crianças iniciam a apresentar reações até mesmo no comportamento, padrões de sono e alimentação como reação ao uso excessivo destes hábitos e ingredientes.


Espero ter ajudado você a encontrar novas alternativas para cuidar da pele dos seus filhos!

Curtiu? Me siga nas redes sociais onde abordo mais afundo estes tópicos.