Devo contratar uma consultoria de sono?

consultoria sono.jpg

Aviso: Esse post tem a intenção de informar sobre os benefícios da contratação dos serviços de uma consultoria de sono. De forma alguma ele visa substituir recomendações médicas ou ditar o que é, ou não, adequado para cada família. Escrevo esta matéria com base em mais de 13 anos de experiência trabalhando diretamente com consultoras nos Estados Unidos, no Brasil, e em diversos outros países, além de pessoalmente ter assessorado mais de 2.000 famílias entre atendimentos pessoais, palestras e cursos. Informo que este texto é embasado nas recomendações mais recentes em estudos e órgãos de saúde. Existem diferentes tipos de profissionais na área e é responsabilidade única de cada família pesquisar e buscar boas recomendações de quem elas pretendem contratar.


NÃO EXISTEM COMPROVAÇÕES DE QUE ENSINAR UM BEBÊ OU CRIANÇA A DORMIR COM MÉTODOS DE “TREINAMENTO DE SONO” SEJA BENÉFICO E/OU MALÉFICO PARA O DESENVOLVIMENTO INFANTIL.


Repito, não existe comprovação para ambos os lados dessa discussão.

Existem teorias que estipulam os métodos e aspectos da melhor forma de fazer (ou não) esse processo. Nenhum estudo é conclusivo o suficiente para determinar se, de fato, os efeitos de “treinar” o bebê e/ou a criança a dormir causam algum benefício ou malefício para o desenvolvimento infantil. Até porque cada família precisa ter autonomia para descobrir o que é melhor na educação de seus filhos e cultivar um ambiente saudável para potencializar seu crescimento.

Ao meu ver, essa comprovação será algo improvável. Após anos trabalhando com famílias de etnias completamente diferentes, aprendi que o sono é algo altamente influenciado pela cultura, abordagem e hábitos de cada família. De certa forma, todos nós estamos treinando o sono infantil, pois o simples fato de termos uma rotina de atividades para seguir e abordarmos a hora do sono de maneiras diferente, exige adaptação por parte da criança. Seja você mais rígido, ou flexível, você está moldando os hábitos de sono do seu filho.

Por exemplo, meus clientes da Arábia Saudita seguem uma rotina que, ao longo de certos períodos do ano, devido à celebração muçulmana do Ramadã, alteram o sono dos pequenos para seguir esta tradição. Durante esta época, toda a família acorda tarde, faz jejum durante o dia, come com o pôr do sol e fica acordada comemorando até a madrugada. A cada ano que passa, os pais ensinam as crianças a ficar acordadas por mais tempo, acordar mais tarde e também a jejuar durante várias semanas do ano.

Não seria essa uma forma de “treinamento de sono”?

Já com as famílias norte-americanas, a rotina de atividades segue a demanda avassaladora de longos períodos de trabalho dos pais. O dia tem uma sequência de atividades muito objetiva, onde o dia começa entre 6 e 7 da manhã e termina por volta das 18 e 19 horas. Nesses lares, o sono é visto como uma prioridade, e famílias norte-americanas evitam quebrar a rotina da casa, pois isso implica baixa produtividade no trabalho (algo muito importante na cultura americana).

Não seria essa uma outra forma de “treinamento de sono”?

“Legal, Mariana, entendi que culturalmente os padrões, abordagens e as expectativas de cada família mudam o sono de bebês e crianças, mas como isso mudaria minha opinião sobre a consultoria de sono?”


Uma consultora irá te auxiliar com informações e suporte para encontrar a melhor solução para a sua família. Essas conversas irão incluir conhecimentos sobre o funcionamento do sono, abordagem para implementar as mudanças e apoio para manter essas alterações.

Bom, vamos aos estudos:

A Academia Americana de Pediatria sugere que técnicas usadas durante o treinamento de sono são eficazes e seguras para auxiliar famílias a melhorar a qualidade do sono infantil. As técnicas avaliadas durante o estudo foram “conforto controlado”* e “acampar”**. Ambas surtirão o efeito esperado e beneficiarão o sono infantil até o segundo ano de vida. Além disso, foi observado um aumento na qualidade da saúde mental e estilo de parentalidade materna durante este período.

Essas recomendações são o resultado de um estudo conduzido na Austrália onde 225 crianças foram acompanhadas até os 6 anos e seguiram algum dos dois tipos de “programa de sono comportamental” como os citados acima. “Os principais desfechos mensurados durante o estudo foram saúde mental infantil, sono, funcionamento psicossocial, regulação do estresse; relação pais-filhos; e estilos de saúde mental e parentais maternos.”

A conclusão do estudo foi que “técnicas com mudanças comportamentais para ensinar o sono não têm efeitos de longa duração (positivos ou negativos). Os pais e profissionais de saúde podem usar com confiança essas técnicas para reduzir a carga de curto a médio prazo de problemas do sono infantil e da depressão materna.”

Para agregar ao argumento de que consultoria de sono pode beneficiar famílias aflitas, acho importante trazer para a mesa o maior estudo de desenvolvimento humano do mundo.

Por mais de 70 anos, mais de 70 mil crianças foram acompanhadas na Grã Bretanha, do nascimento à vida adulta. De todas descobertas e estudos que originaram dessa extensa pesquisa, um dos fatores levantados foi que crianças com uma rotina de sono noturna irregular apresentavam problemas graves de comportamento. Para testar o impacto desta descoberta, foi sugerido uma alteração para uma rotina com horário fixo para dormir. Quando o comportamento destas crianças melhorou significativamente tornou-se óbvia a importância da regularidade na rotina de sono para o desenvolvimento emocional e comportamental infantil.

Outras descobertas incluem o estudo que ganhou o prêmio Nobel de Medicina de 2017, que examinou o Ciclo Circadiano (também conhecido como relógio biológico). Nele o gene responsável por nossas funções diárias foi isolado para possibilitar uma avaliação de como nosso corpo se adapta e antecipa nossas necessidades de acordo com as mudanças causadas pela rotação da Terra (dia e noite, estações, entre outros):

“O relógio regula funções críticas como o comportamento, os níveis hormonais, o sono, a temperatura corporal e o metabolismo. Nosso bem estar é afetado quando há um desajuste temporário entre nosso ambiente externo e esse relógio biológico interno, por exemplo, quando viajamos por vários fusos horários e experimentamos o "jet lag". Há também indicações de que o desalinhamento crônico entre nosso estilo de vida e o ritmo ditado pelo nosso cronometrista interno está associado ao aumento do risco de várias doenças.”

Traduzindo, quando nosso ambiente externo (hábitos, sono, horários, alimentação) não se encontram em sintonia com o ritmo ditado por nossas necessidades internas (saúde física e emocional), as chances de termos problemas graves na saúde física e emocional aumentam.

Nos últimos anos os estudos sobre a importância do sono estão em alta devido ao aumento drástico nos índices de problemas de distúrbios de humor, alzheimers, demência, Parkinson’s, diagnósticos incorretos de DDA e DDAH, obesidade, entre outros.

O Brasil tem um dos maiores índices de privação de sono do mundo. A Associação Brasileira de Neurologia (ABN), com apoio da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET), do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (CREMESP) e da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP) liberou dados assustadores sobre nossos hábitos noturnos que podem ser os responsáveis pelos altos índices de acidentes de trânsito. Um dos resultados dessa pesquisa é que 60% dos brasileiros dormem apenas de 4 a 6 horas por noite.

Ainda acredita que o sono não é importante ou que buscar ajuda é desnecessário? Então vamos a algumas alegações que a contratação de uma consultora de sono pode comprometer o desenvolvimento neurológico infantil.

Um estudo publicado no Harvard Business Review ressalta que: “o efeito geral da privação do sono sobre o desempenho cognitivo é bem conhecido: ficar acordado por mais de 18 horas consecutivas diminui a velocidade de reação, afeta a memória de curto e longo prazo, capacidade de foco, capacidade de tomada de decisão, processamento matemático, velocidade cognitiva e orientação espacial. Períodos de sono interrompidos, dentre cinco ou seis horas de sono por noite durante vários dias seguidos, e o acumulado de déficit de sono, aumentam esses efeitos negativos. (A privação do sono está implicada em todos os tipos de doenças físicas, também, da hipertensão à obesidade)”.


IMAGINE O IMPACTO DA PRIVAÇÃO DE SONO EM UM CÉREBRO EM DESENVOLVIMENTO, QUE CRESCE CERCA DE 90% NOS PRIMEIROS 5 ANOS.


A aprendizagem de sono é um processo gradual e lento que exige mudanças frequentes de acordo com a evolução no desenvolvimento infantil. Esse processo deve ser priorizado tanto quanto uma boa alimentação. Até porque a falta de sono tem um impacto devastador na alimentação. Como o estudo publicado na revista Pediatrics sinaliza, “as crianças que dormem menos na infância e na primeira infância podem estar sob maior risco de ter excesso de peso ou obesidade durante a infância”. Outro estudo publicado pelo Jornal Internacional de Obesidade concluiu que “a curta duração do sono e a grande variabilidade na duração do sono estão independentemente associados a fatores de risco dietéticos”. Maus hábitos noturnos aumentam a necessidade e consumo de alimentos ricos em carboidratos e açúcar.

Então, meus queridos amigos, a única certeza nesse argumento é que como pais e cuidadores nós temos a responsabilidade de buscar informações e profissionais que cultivam e incentivam nossas habilidades e bom senso.

Se para sua família é importante ter um acompanhamento profissional do sono dos seus pequenos, contrate!

Se você continua discordando, faça o contrário.

Argumentos radicais que assustam mais do que informam servem somente para enfraquecer as competências de pais e cuidadores interessados em fazer o que julgam melhor para suas famílias.

E você, o que acha sobre esse assunto? Você contrataria uma consultora?

Esclarecimentos sobre as técnicas abordadas neste post:

*Conforto controlado - técnica onde os pais aumentam o tempo onde a criança aguarda por conforto.

** Acampar - técnica onde os pais se mantêm junto à criança durante todo o processo.


Quer saber mais sobre consultoria de sono na prática? Preparei um curso especialmente para quem quer mais informações para saber como lidar com a dificuldade de dormir do bebê.

bebe com sono.jpg

Meu bebê não dorme

Descubra informações importantes sobre o sono do seu bebê e sobre como você pode ensiná-lo a dormir melhor.


Siga-me no Twitter!