Quais são os benefícios da chupeta?

bebe chupando chupeta.jpg

Muito é dito sobre os malefícios da chupeta, e como fazer para a criança deixá-la de vez. Por isso, um dos maiores dilemas da família moderna é a decisão de introduzir ou não o uso da chupeta na vida de seus bebês. À primeira vista, parece estranho enfatizar os benefícios, já que desperta tantas reticências e dúvidas, mas há uma lista de benefícios a considerar.

Contudo, antes de aprofundarmos no assunto, acho válido lembrar que são diversos os argumentos contra e a favor do uso do bico e existem muitas facetas sobre este assunto a serem ponderadas.


Descobertas recentes que apresentam uma possível diminuição em casos de Síndrome de Morte Súbita infantil (SMSI) devem ser consideradas e discutidas.


De acordo com as recomendações recentes da Academia Americana de Pediatria para segurança de sono, chupar chupeta é uma das práticas que podem inclusive proteger os bebês contra a temida SMSI.

Antes de mais nada, é bom saber que nas primeiras 4 semanas de vida é reforçado que o bico seja evitado devido ao processo de aprendizagem da amamentação. No primeiro mês, o bebê está desenvolvendo a habilidade de formar a pega correta no seio, e isso pode ser dificultado pela diferença de formato dos bicos e a forma de sucção: a posição e movimentação da língua para extrair o leite são distintas das que são necessárias para manter a chupeta na boca.

Essa frequência alimentar protege e mantém o sono do bebê leve, e surte o mesmo efeito que o uso do bico surtiria no início da vida. Por isso, mamães que pretendem amamentar exclusivamente, sem oferecer a chupeta, também estarão seguras, mesmo sem optar pelo uso do bico. Além disso, a sucção não nutritiva no início da vida é importante para a descida do leite e também para auxiliar o corpo da mulher a compreender a quantidade e frequência pela qual o leite deve ser produzido.

Uma vez que a amamentação está andando adequadamente e o bebê demonstra um ganho de peso regular, muitas famílias optam pelo uso da chupeta para acalmá-lo. Da mesma forma, a chupeta também é introduzida para que o pequeno possa formar vínculo com outros cuidadores como pais, babás e avós, que são primordiais para o bem-estar materno e também para o próprio bebê, que aprende a confiar em todos ao seu redor.

O bico pode ser um grande aliado na ausência de um cuidador como, por exemplo, quando o bebê é deixado a dormir sozinho. Nesse caso, a chupeta ajuda por manter o sono leve, considerando que nem todos os bebês podem estar prontos para prolongar o sono e/ou adentrar o sono profundo.


É importante lembrar que o estudo aponta os benefícios do uso, mas também enfatiza que a prioridade deve estar na amamentação. Cada bebê é único, por isso é importante que cada família observe se a chupeta está interferindo no processo alimentar do bebê.


Nenhum debate sobre o uso da chupeta está completo sem pincelar a realidade de que o uso excessivo do bico pode comprometer o desenvolvimento físico e emocional do bebê. Por isso, é importantíssimo respeitar a decisão individual de cada família que deve avaliar os benefícios e malefícios de forma independente e tomar decisões embasadas.

Evite o uso após o 12º mês de vida do bebê e monitore os reflexos do uso com o acompanhamento de um dentista.