Qual é a importância das brincadeiras sensoriais para bebês e crianças?

brincadeiras sensoriais

Pouco é falado sobre a importância de proporcionarmos atividades que exploram os sentidos dos nossos pequenos.

Visão, tato, audição, paladar, olfato, movimento e equilíbrio, precisam ser trabalhados para que o desenvolvimento fisico, social, cognitivo e diversas outras habilidades sejam potencializadas.


Mas afinal, o que são brincadeiras sensoriais?

Ao possibilitar o uso de todos os sentidos do bebê e da criança através de atividades que estimulam estas competências, contribuímos fortemente com o desenvolvimento neurológico infantil. A importância destas atividades não podem ser subestimadas pois o crescimento cognitivo, o desenvolvimento da linguagem, habilidades motoras grossas e finas e muito mais dependem destas interações do pequeno com o mundo ao seu redor.


Como estas brincadeira auxiliam no desenvolvimento do cérebro infantil?

Estudos indicam que ao proporcionar uma variedade de estímulos sensoriais estamos ajudando a alterar a estrutura neurológica da criança. Durante estas atividades o cérebro constrói novas conexões nervosas que criam novos caminhos para melhorar as habilidades da criança de solucionar problemas e aumentar a capacidade cognitiva do indivíduo. O cérebro é como se fosse um músculo que precisa ser exercitado e exposto a diversas experiências para ser fortalecido. A falta de diversidade destes estímulos adia este processo.


Quais são alguns sinais de que meu filho pode estar enfrentando desafios em lidar com experiências sensoriais?

Quando uma criança reage de forma desproporcional a um estímulo (sons, texturas {tato}, estímulos visuais) este é um sinal que precisamos auxiliar a criança a processar suas sensações. Em casos mais graves, onde a criança enfrenta diversas crises por não conseguir lidar com sons,  interação com outras pessoas ou até mesmo controlar seus impulsos, emoções e movimentos, é importante buscar suporte em um especialista. Mais e mais, o número de pequenos sendo diagnosticados com distúrbios do processamento sensorial tem aumentado. Isso pode ser atribuído ao fato de que estamos mais atentos para identificar os sintomas destes distúrbios ou ao fato de que estamos despreparados para lidar com comportamentos que deveriam ser interpretados como normais durante o desenvolvimento da criança. De qualquer jeito, fica o alerta da importância de proporcionarmos vivências que exploram os sentidos da criança.


Como o ambiente em que bebês e crianças brincam podem atrasar o desenvolvimento sensorial saudável?

Precisamos refletir fortemente sobre onde as brincadeiras ocorrem e quais brinquedos são usados por nossos pequenos. 

Houve uma mudança drástica nos espaços e objetos que são oferecidos para as crianças brincarem nos últimos tempos.

O foco na segurança e higiene podem ter sido os fatores que contribuíram para o aumento na dificuldade de processamento sensorial. 

Isso não significa que eu quero que as crianças se machuquem e fiquem doentes. Ou que você deve deixar seus filhos brincarem com qualquer coisa! Esta é apenas uma constatação que precisa ser avaliada, pois a transição de ambientes e objetos com texturas naturais (madeira, grama, areia, água, barro) que ofertam diversos estímulos ao mesmo tempo (sons, cheiros, sabores, texturas), para ambientes  e brinquedos planejados em excesso, todos plastificados ou almofadados, vêm causando fortes problemas para o desenvolvimento sensorial saudável.

Além disso, a obsessão com a higiene e a falta de equilíbrio em relação a este assunto, desmotiva pais e cuidadores a permitirem a exploração, criatividade e curiosidade da criança por medo da sujeira. Medo que a criança fique doente. Medo que a criança crie maus hábitos por ser permitida a comer com as mãos. 

Percebe onde vivem os problemas?


Quais são brincadeiras e/ou atividades você pode proporcionar para seus pequenos para estimular o desenvolvimento sensorial saudável?

Agora que exploramos este assunto, acho importantíssimo listar algumas sugestões sobre como você pode proporcionar estes estímulos no seu dia-dia:

  • Evite investir somente em brinquedos de plástico - O plástico é um material que gera pouquíssimo estímulo sensorial. A textura pode mudar, mas o cheiro, os sons, tudo é limitado;
  • Opte por atividades ao ar livre - O cheiro de terra molhada, a sensação de colocar o pé na grama, do sol sobre a pele, ou do beijo de uma brisa, não podem ser replicados. Nenhuma outra atividade tem o peso que os benefícios de brincar ao ar livre carregam.
  • Pondere o excesso de segurança dos ambientes onde seu filho brinca - Isso não significa: permita que seu filho brinque em um ambiente inseguro! Isso significa, considere que: para permitir o desenvolvimento adequado a criança ter a oportunidade de brincar em ambientes que não se resumem em borrachas e almofadas. É importante lembrarmos que a única forma de aprender a cair é caindo. E sim, esta é uma forma de avaliação que vai completamente contra nossos instintos, porém precisamos lembrar que o desenvolvimento motor e cognitivo só irá ocorrer de forma saudável se a criança tiver espaço para avaliar riscos e abraçar as consequências que ocasionalmente podem resultar das decisões tomadas;
  • Permita a sujeira - De novo, isso não lê: não ensine seu filho sobre higiene. Significa que você deve deixar o seu filho interagir com a própria comida, que ele deve ter a felicidade de brincar com barro, comer areia, rolar na grama. Sujeira é algo que pode ser solucionado com um banho, problemas sensoriais não.

Espero que vocês tenham gostado deste post!

E você, quais brincadeiras você faz com seus pequenos que estimulam todos os seus sentidos?